Lidergraf | DatacenterSustainable Printing

Lidergraf-2
A LIDERGRAF renovou a infraestrutura de sistemas de Datacenter com a Divultec

Renovar a infraestrutura, tanto na componente de processamento como na componente de armazenamento e ativos de rede, que já se encontram obsoletos e em simultâneo dotar a mesma de maior performance, resiliência e com a capacidade de realização de failover para um Datacenter de Disaster Recovery.

objetivos

  • Alta disponibilidade no Ambiente Produtivo
  • Mais recursos de processamento e memória RAM para a Farm de virtualização
  • Sistema de armazenamento altamente resiliente e de alta performance
  • Renovação dos ativos de rede disponibilizando um CORE redundante
  • Rede wireless com gestão centralizada e redundante
  • Criar um site de Disaster Recovery com os equipamentos existentes

parceiros

solução

Para alcançar estes objetivos, a Divultec selecionou o fabricante HPE para todas as componentes de infraestrutura, tais como servidores, storage e ativos de rede (Wired e wireless), simplificando assim também a gestão do dia-à-dia disponibilizando um interlocutor único para qualquer dos componentes da solução.

A plataforma de virtualização foi mantida, com o VMware vSphere Essentials Plus, alargando a mesma para o site de Disaster Recovery.

A alta disponibilidade no ambiente produtivo esteve na base de toda a solução apresentada, já que tanto a componente de processamento como o sistema de armazenamento, foram dimensionados usando equipamentos com alta resiliência, oferecendo a redundância necessária para assegurar a disponibilidade dos serviços entregues na rede.

O cluster de VMware foi implementado em cima de 3 servidores HPE DL360, com recursos suficientes para as necessidades atuais e futuras da Lidergraf, garantindo em simultâneo que mesmo com a paragem de um dos nós do cluster, os recursos são suficientes para endereçar estas necessidades.

Na componente de armazenamento, foi dimensionada uma HPE 3PAR StoreServ 8200 totalmente licenciada, com controladoras redundantes e interfaces Fibre Channel a 16GB para a ligação em Direct Attach dos servidores de VMware. O storage foi configurado com um Tier SAS composto por 20 discos de 1.8TB disponibilizando aprox. 26TB de espaço útil e 4 discos de 400GB SSD para implementar a funcionalidade de AFC (Adaptive Flash Cache) melhorando assim a performance do sistema.

Para a camada de rede, foi realizada uma reorganização da mesma, dotando a organização de um core redundante com uplinks a 10GbE em fibra ótica para as localizações que necessitam de maior largura de banda e uplinks a 1GbE em fibra/cobre para os restantes equipamentos de acesso. Esta infraestrutura de rede foi implementada com equipamentos HPE Aruba, desde o CORE até ao Acesso.

Foi também implementada uma solução de rede sem fios, que foi dimensionada com base num estudo de cobertura realizado previamente e para tal, foi escolhida a solução da HPE, nomeadamente os Aruba Instant Access Points. Esta solução dispensa o uso de controladores wireless, já que um dos pontos de acesso atua como controlador virtual. Com esta solução é possível obter uma elevada resiliência na rede sem fios, pois se o AP que tem a função de controlador virtual falhar, outro ponto de acesso assume esse papel e assim está sempre disponível um controlador na rede sem fios (até ao último AP).

Para a gestão e monitorização da rede, foi implementada a solução da HPE Aruba AirWave que permite uma gestão unificada para a rede wireless e wired, disponibilizando um histórico de tendências e relatórios de longo prazo, localização e mapeamento com o VisualRF, deteção de intrusão e Rouge APs e uma grande facilidade no troubleshooting de problemas.

A infraestrutura existente antes desta renovação (servidores, storage e switching), foi reaproveitada de forma a criar um site de Disaster Recovery, que com o uso da funcionalidade de replicação do Veeam Backup & Replication, foi possível replicar as máquinas virtuais críticas para aquele site e assim garantir à Lidergraf que em caso de desastre é possível realizar o failover das máquinas virtuais para o site de Disaster Recovery minimizando assim ao máximo, os tempos de paragem mesmo em caso de desastres.

benefícios

A solução apresentada teve como objetivo principal a alta disponibilidade dos sistemas, garantindo a continuidade do negócio mesmo com a possível falha de algum dos componentes do site produtivo, ou até mesmo a falha total do datacenter principal.

Para o efeito foram usados componentes com uma resiliência de até 99.9999% de disponibilidade, bem como mecanismos sem SPOF (Sigle Point of Failure) para garantir a disponibilidade dos serviços entregues na rede.

A solução de backup existente (Veeam B&R) foi melhorada, replicando para o site de DR (constituído pelos equipamentos reaproveitados) as máquinas virtuais consideradas críticas, para que em caso de desastre e perda do site produtivo, seja possível realizar o failover para o datacenter de Disaster Recovery. Esta faculdade, para além de garantir a continuidade do negócio, veio permitir à Lidegraf, a realização de testes de failover em ambiente controlado, de forma a avaliar periodicamente o bom funcionamento da replicação das máquinas consideradas críticas.

A conectividade wired e wireless foi também melhorada, garantindo por um lado a existência de um CORE redundante e por outro a implementação de uma rede sem fios de classe empresarial com a capacidade de gestão, monitorização e alarmística centralizadas e redundância até ao último access point.

testemunho

Entrevista à Engª Andrea Carneiro – Diretora Técnica CTO da Lidergraf
10 meses após a implementação do projeto:

 

O que levou a Lidergraf a renovar a infraestrutura de sistemas de Datacenter?
Andrea Carneiro (AC) – Existia uma forte necessidade de expandir os recursos existentes para uma infraestrutura mais rápida, segura e resiliente. Era igualmente importante reestruturar toda a componente de ativos e passivos de rede bem como criar um DR de modo a garantir a continuidade dos sistemas críticos de negócio da organização.

 

Decorridos alguns meses desde a implementação da 3PAR8200, qual o balanço que faz da Storage HPE?
AC – O balanço é bastante positivo. Comparativamente à existente, houve um aumento significativo de performance, eficiência de armazenamento e excelente carga operacional.  O modelo que adquirimos, com duas controladoras redundantes e canais de fiber channel a 16Gbit, comprovaram ser bastante confiáveis e seguras pela sua redundância e desempenho.

 

Quais as vantagens que identifica no upgrade ao software VMware ESX e Windows Server 2016?
AC – O upgrade do VMWare trouxe algumas vantagens comparativamente à versão anterior. O vCenter Server trouxe uma nova interface com recursos otimizados de gestão, como o HA nativo e o backup e restore. Outra funcionalidade igualmente importante é a encriptação. Com esta nova versão a possibilidade de encriptar VM’s a nível do hypervisor torna-se mais fácil implementar e garantir a segurança das VM’s independentemente do sistema operativo. Relativamente ao Windows Server 2016, optamos por manter a pool de servidores na base do Windows Server 2012 reaproveitando o licenciamento existente. Desta forma conseguimos fazer uma gestão mais uniformizada dos sistemas operativos e das suas funcionalidades.

 

Quais os benefícios da solução de networking Aruba, nas vertentes wireless (APs e Airwave) e switching?
AC – A solução da Aruba veio colmatar uma grande necessidade na área de networking, nomeadamente no wireless o nos ativos de rede que estavam obsoletos. A instalação de IAP’s Aruba garantiram a total cobertura da rede wireless com elevada performance, segurança e de fácil gestão. Na componente de switching, com a substituição dos ativos core e edge por equipamentos Aruba, beneficiamos de uma performance alta e segura entre todos os sistemas, com forte incidência no Datacenter e ligações entre edifícios. O Aruba Airwave também permitiu gerir e monitorar de forma centralizada toda a infraestrutura de rede, garantido o funcionamento adequado de todos os ativos de rede.

 

Já tinham o VEEAM como ferramenta de backup, passaram a usar a funcionalidade de replica para o Datacenter de D.R. O software responde às vossas espectativas, quais as características que destacam?
AC – A simplicidade e eficiência do produto. Nunca nos dececionou. É bastante rápido nos backups e réplicas e sempre que necessário, o suporte da equipa VEEAM é excecional.

 

A renovação da cablagem estruturada nas vertentes cobre e fibra ótica corresponderam às vossas expetativas?
AC – Claramente. Graças à restruturação de cablagem, possuímos agora um passivo de rede que corresponde ás exigências de transferência de dados entre edifícios, Datacenter e zonas de maior carga operacional como a Pré-Impressão.

 

Que objetivos pretendiam ver alcançados com a renovação dos sistemas do Datacenter e se estes foram atingidos?
AC – Era fundamental expandir os recursos da infraestrutura que já se encontravam no limite bem como garantir a redundância dos sistemas críticos e a continuidade de negócio. Era igualmente importante reestruturar tanto os passivos e ativos de rede que já se encontravam obsoletos e não tinham capacidade de resposta às novas necessidades. A Divultec cumpriu com os objetivos.

 

Quais os critérios utilizados na escolha da solução?
AC – Noutros projetos responderia o payback, mas neste não é fácil medi-lo! Foram fatores operacionais internos e de risco (técnico e segurança). Fizemos este investimento tendo em vista alguma estabilidade a médio prazo procurando melhorar a performance dos procedimentos internos, interação com os nossos clientes e reduzir riscos de segurança da informação. Em resumo aumentamos a robustez e segurança dos nossos sistemas de informação e consequentemente da empresa.

 

Porquê a Divultec?
AC – A Divultec é um parceiro de confiança da Lidergraf há alguns anos. Tem competência técnica e capacidade para dialogar e discutir as melhores soluções considerando as condicionantes dos projetos como tempo e orçamentos. Mesmo quando os projetos não se concretizam, não desistem do “cliente” mantendo uma postura profissionalmente irrepreensível.

 

Como descreve a contribuição da Divultec em todo este projeto?
AC – Do ponto de vista técnico, a contribuição da equipa foi fundamental. Sempre disponíveis e eficientes na resolução de problemas que foram surgindo e contribuíram ativamente para o sucesso do projeto.

sobre o cliente

Saiba mais sobre a Lidergraf

Podemos ajudá-lo?

Veja a nossa oferta tecnológica de soluções e serviços que podemos adaptar ao seu negócio.